10/08/2017 10:24:00

Polícia investiga ação de falsos seguranças detidos em show do Wesley Safadão

Grupo do Espírito Santo foi abordado na entrada de show com armas e réplicas de fuzis. Delegado descarta suposta tentativa de sequestro de cantor



Com atualização às 18h
Portal Caparaó


Wesley Safadão aposentou-se ontem à noite em Manhuaçu. Prisão de suspeitos ocorreu minutos antes da apresentação


Um grupo de cinco pessoas foi detido pela Polícia Militar em uma situação inusitada, na noite de quarta-feira. Os cinco foram presos nas proximidades do Parque de Exposições do bairro Ponte da Aldeia, em Manhuaçu, na Zona da Mata mineira, onde era realizado o Glacial Fest, que hoje de madrugada tinha como principal atração a apresentação do cantor Wesley Safadão. No fim da tarde, a PC divulgou uma nota negando suposta possibilidade de tentativa de sequestro do cantor.

Conforme o relatório da PM, por voltar de 21h50, minutos antes da abertura dos portões, policiais em serviço no local abordaram uma caminhonete Mitsubishi L200, com cinco ocupantes, próximo à área de segurança delimitada pelos militares.

“O condutor do veículo aproximou e se apresentou como segurança do evento e que estavam ali para trabalhar na festa pois haviam sido contratos por um dos organizadores, mas como já havia chegado uma outra equipe de segurança e pelo fato do show estar quase iniciando nós suspeitamos da alegação dele e os demais ocupantes do veículo apresentaram uma certa inquietação. Foi quando pedimos que desembarcassem”, disse o tenente PM Robson.


Todos os cinco ocupantes usavam roupas pretas, parecidas com uniforme do BOPE, colete balístico e boinas vermelhas. “Vestimentas um pouco incomum pra quem vai apenas fazer segurança e como eles não souberam explicar quem os havia contratado resolvemos realizar buscas no interior do veículo, já que com eles nada de ilícito foi encontrado, mas dentro da picape localizamos, um revólver calibre 38 municiado, três réplicas de armas fogo, entre as quais, duas pistolas e um rifle, canivetes multifunção, diversos bastões, rádio de comunicação, armas de choque elétrico e outros materiais diversos”, explica o oficial.

Todos os integrantes do grupo são oriundos do estado do Espírito Santo. “Eles foram presos por porte ilegal de arma de fogo, o veículo foi apreendido e eles foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Civil para maiores esclarecimentos” concluiu o tenente Robson, em entrevista à imprensa de Manhuaçu.


Onda de boatos de sequestro é descarada por delegado da PC

A prisão do grupo, em uma situação ainda pouco esclarecida, gerou uma onda de boataria pelas redes sociais. Manhuaçu virou foco da fofoca e de especulações em âmbito nacional.

Entretanto, no fim da tarde desta quinta-feira, o delegado regional de Manhuaçu, Carlos Roberto Souza afirmou em nota que “Não houve qualquer tentativa de sequestro do Cantor "Wesley Safadão" em Manhuaçu”.

O delegado acrescentou que um grupo de seguranças "freelance" (diverso dos seguranças que estavam realizando a segurança do evento) foi abordado pela PMMG e com um integrante do grupo havia uma arma de fogo de calibre permitido, que mesmo com registro não poderia estar sendo portada. “As demais armas eram de pressão por mola para prática de airsoft, sendo irregular seu transporte sem a nota fiscal”.

Ainda conforme o delegado, um dos integrantes do grupo de seguranças foi conduzido à delegacia, preso em flagrante por prática da conduta crime de porte de arma de fogo de calibre permitido, pagou a fiança arbitrada e vai responder o processo em liberdade. “Qualquer outra informação a respeito do caso diversa desta é falsa. Divulgar informações falsas ou sem fonte é um desserviço e gera um sensação de insegurança na população”, conclui o delegado.




Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário