04/08/2017 18:14:00

Diferenças



[13559] Em todas as disputas do campeonato brasileiro, vários disparates acontecem durante a competição, a cada ano surgem novidades e surpresas, antes, durante e após os jogos, às vezes consagrando algumas equipes, e outras, decepcionando os seus torcedores.

Nesta temporada voltaram a acontecer muitas coisas que o torcedor tenta entender sem conseguir, situação que se repete em Minas Gerais desde que o Atlético conquistou a Taça Libertadores da América, em 2013.
Com a proposta de tentar conquistar o título brasileiro – lembrem-se, o primeiro e único foi em 1971 -, a diretoria do Galo até que tem procurado montar bem a equipe para a temporada, buscando jogadores de qualidade, mas com pouca eficiência.

Recentemente o time trouxe grandes jogadores, como Fred, Elias e Robinho, que são tidos como jogadores de ponta no futebol brasileiro. Mas somente Fred tem sido a referência positiva, pois ano passado foi um dos destaques das competições que o time disputou e é um grande artilheiro.

Robinho veio gerando grande expectativa, e somente no ano passado foi útil ao time. Na atual temporada ele simplesmente desapareceu em campo e até agora não mostrou se a diretoria pode pensar em renovação, o que não deve acontecer. Elias ainda é um jogador útil, que pode ser trabalhado para a próxima temporada.

Se analisarmos de modo geral, n]ao há muita diferença dos outros clubes da Série A com o do Corinthians paulista, time que não é recheado de craques mas tem um conjunto e um esquema tático invictos há várias partidas, que se apresenta da mesma maneira dentro ou fora de sua arena e é o líder incontestável do Campeonato Brasileiro até o momento.

Se analisarmos friamente, não há nenhum craque de destaque no time paulista, e sim, um bom conjunto, que foi planejado, e administrado de forma correta para a disputa do campeonato, que mesmo perdendo vários jogadores na temporada passada e no início do ano não se abalou, e que foi se acertando para buscar um novo conceito de futebol de qualidade.

O Corinthians tinha arte então um treinador desconhecido, que organizou um elenco compacto e homogêneo e, o mais importante, treinou a conclusão de bolas para o gol, e com extrema qualidade.

O Cruzeiro, mesmo em menor quantidade e qualidade, também buscou jogadores que poderiam se encaixar no esquema do seu treinador, e procura recuperar o desempenho que perdeu desde 2014, após a conquista do último brasileiro. E mesmo não sendo brilhante em todas as partidas, é um time “operário”, como se diz na gíria do futebol.
O Grêmio adotou a mesma postura do Corinthians, e segue buscando diminuir a diferença que há entre os dois nos pontos da tabela de classificação, sendo competente nos jogos que é o mandante e fora de casa.

Analisando a tabela, vemos que o Vasco, Atlético Paranaense, Botafogo e Sport não tem um elenco melhor do que o do Galo, mas estão melhores colocados na tabela graças à uma diferença razoável, que foi a maneira como se organizaram para montar as suas equipes.

Após o falecimento de Eduardo Maluf, um dos grandes diretores de futebol que este país viu, o Atlético continuou sem achar um rumo. A diretoria trouxe André Figueiredo da base para o profissional, e o presidente Daniel Nepomuceno – o mesmo que tomou a impensada decisão de demitir o treinador Levir Culpi - não aceita que isto seja discutido, faz tudo da maneira que melhor lhe convier.

Ele teve a coragem de contratar Diego Aguirre, que não promoveu nenhuma melhoria no time. Depois veio Marcelo Oliveira, um bom treinador que também não deu certo, mas que poderia ter ficado, mesmo com o time tendo perdido a Copa do Brasil.

Em seguida chegou Roger Machado – e foi outro tiro n’água. Sem mais alternativas, Nepomuceno aposta agora em Rogério Micale, que pelo menos chegou e mudou a maneira do time atuar, mas ainda não é o suficiente para o que a torcida quer, que são títulos.

Faltou, sim, planejamento ao Atlético, e o time vai passar o ano todo tendo dificuldades para se manter entre os clubes da parte de cima da tabela. E se não conseguir vitórias em sequência, não conseguirá estar na Libertadores na próxima temporada. Tudo pela falta de qualidade de sua equipe e de comprometimento de seus jogadores.

É inaceitável que atletas da qualidade dos que foram citados estejam cara a cara com o gol e não consigam concluir com determinação, acerto, eficiência e precisão, para que o time possa conseguir as vitórias das quais tanto precisa.
Fica provado mais uma vez que não adianta ter uma equipe só com grandes talentos. Jogadores precisam ser de grupo, medianos e talentosos, pois só assim funciona no futebol brasileiro, esta é a nossa realidade atual.

E isto acontece também no Cruzeiro, que mesmo estando na semifinal da Copa do Brasil ainda precisa melhorar muito, em termos de posicionamento em campo, precisa ser mais aguerrido, pois tem sido derrotado até em casa, por equipes medíocres. Esta será a tônica do futebol mineiro, que nesta temporada poderá vir a ter apenas um vencedor, o time do América, que é líder da série B do brasileiro e que, se manter a qualidade, estará no próximo ano de volta à elite do futebol brasileiro.

DECISIVOS
Atlético e Cruzeiro farão jogos decisivos fechando o primeiro turno. O time celeste recebe o Botafogo em Belo Horizonte, e vai enfrentar um time de qualidade, que tem surpreendido os seus adversários mesmo tendo um elenco também modesto e merece a atenção do time de Mano Menezes. Uma vitória é importantíssima para manter o time na parte de cima da tabela, após a vitória obtida contra o Vasco na noite de quinta-feira.

O Atlético tem outra parada difícil em Porto Alegre, onde vai enfrentar o Grêmio, vice-líder na tabela, que não pensa em derrota em sua arena, pois não quer perder o líder Corinthians de vista. O Galo terá de fato muitas dificuldades para conseguir uma vitória, e pelo futebol apresentado até agora no primeiro turno, se conseguir pelo menos um empate já estará de bom tamanho para os atleticanos. Depois é começar a pensar no segundo turno, que deve ser de recuperação de pontos perdidos até então.

LEMBRANÇAS
Saudoso Paulo César Gomes, um dos bons árbitros do futebol do Vale do Aço, que por muitos anos prestou serviços à Liga de Desportos de Ipatinga. Era um cidadão carismático, de boa fala e muitas brincadeiras, gostava de jogos polêmicos e sempre tomou conta da situação dentro de campo, mesmo em locais complicados para atuar. Paulo Cesar sabia como levar as partidas até o final, mesmo em lances polêmicos fazia piada sobre a situação, e sempre encontrava solução para os problemas.

Contato com a coluna: roberto50mg@hotmail.com.


Reação dos Leitores





Envie o seu Comentário