18/07/2017 17:12:00

Mineiros



Divulgação

No domingo, o Atlético fez um péssimo primeiro tempo e não teve nenhuma reação contra o Atlético Goianiense, saindo derrotado. Parecia que o time marcava muito atrás, deixando o adversário jogar e fazer pressão sobre o Galo durante 45 minutos, e tudo deixava a entender que o filme das partidas contra o Vitória e o Sport iria se repetir.
O treinador Roger Machado optou por manter Marcos Rocha e Robinho no banco de reservas.

Por outro lado, teve a coragem de apostar em uma zaga jovem e de jogadores da base, com Bremmer e Gabriel, podendo contar ainda com Matheus Mancini, que entrou no segundo tempo da partida, e não comprometeu em nenhum momento. A aposta tem dado certo, pois são três jovens jogadores com boa recuperação, e com o andamento do campeonato brasileiro, eles estarão mais qualificados para se manter na titularidade.

Marlone vinha bem no time, e continuou titular. No segundo tempo Robinho entrou na partida, para dar um pouco mais de qualidade principalmente no passe, pois mesmo estando fora de forma física, a técnica não lhe falta. Assim, ele trouxe um pouco mais de preocupação para a defesa do Atlético Goianiense, o time cresceu e saiu com uma grande vitória, com gols de Fred e Elias, que com a entrada de Adilson no time fica mais solto, jogando pelo lado direito do campo e rendendo muito mais, e esta tem que ser a sua posição no time atleticano.

Hoje o time recebe o Bahia no Independência, e tem grande possibilidade de vencer, pela qualidade do seu time. Sem jogar o que a torcida e a comissão técnica querem, o time não vem tendo o mesmo poder de decisão dentro do Independência, onde era difícil ser batido. Mas fica a expectativa que o time tenha um bom comportamento e possa sair com uma grande vitória para continuar subindo na tabela.

O Cruzeiro recebeu o Flamengo no Mineirão. Foi uma grande partida, com as duas equipes buscando o gol desde o início, e mostrou um Cruzeiro bem cadenciado, com um meio campo bem distribuído e uma marcação efetiva, não dando muitas oportunidades ao time carioca. Mas não tão eficiente no ataque no primeiro tempo, mesmo procurando jogar com os laterais apoiando muito e tentando segurar a velocidade do time flamenguista.

A eficiência veio apenas no segundo tempo, quando o Flamengo saiu na frente e logo depois o Cruzeiro empatou com o Sassá. O ataque cruzeirense ainda perdeu uma grande oportunidade de ampliar o placar e conseguir a sua virada.

Foi um jogo bastante equilibrado, com os times tendo com boas chances, mas pecando as vezes nas finalizações. A jogada tradicional do Flamengo deu resultado, com Everton saindo em velocidade pela ponta esquerda, mas o Cruzeiro tentou manter o seu lateral mais fixo, para não ser surpreendido pelas jogadas rápidas do time carioca.

A Raposa apostou na velocidade nas saídas de bola, mas o meio campo tinha o maior destaque na partida. Com uma linha de quatro jogadores, auxiliava a defesa a exercer uma forte marcação sobre Guerreiro e o meia Diego, e com isto deixava o ataque flamenguista apenas com a opção dos atacantes, Everton e o estreante Geuvânio correndo nos flancos, e às vezes sem opções para que a bola chegasse aos dois jogadores no ataque.

Amanhã o time celeste estará no Rio de Janeiro, onde vai enfrentar o Fluminense, que também busca uma posição mais próxima dos líderes. Será uma grande oportunidade para uma vitória.

Mano Menezes tem trabalhado bem o time, pois achou o ponto de equilíbrio com um meio campo bem colocado, fazendo sempre uma linha de quatro. No domingo começou a partida com Lucas Silva como titular, preocupado com o poder ofensivo do time celeste, e depois que equilibrou as ações, ficou um pouco mais tranquilo e teve ainda a oportunidade de manter apenas três jogadores do meio campo, pois entendeu que poderia forçar um pouco o time no ataque. E é com esta mesma formação que ele deve entrar em campo amanhã contra o Fluminense, no Rio de Janeiro.

PUNIÇÃO
O prejuízo do Vasco da Gama será muito grande com a punição sofrida por causa dos tumultos acontecidos no clássico contra o Flamengo, e ainda tem que conviver com a morte de um torcedor durante estes tumultos.
Este ano já foram registradas 11 mortes no futebol brasileiro, o maior número de mortes ocorridas no futebol em todo o planeta, e não há nenhuma ação para que isto mude. A impunidade é muito grande, e nem os clubes, nem a CBF ou a justiça têm um plano para eliminar este tipo de torcedor.

É preciso um plano de ação efetivo, envolvendo os membros das organizadas, dirigentes de clubes, Ministério Público, CBF, Justiça, para que medidas radicais sejam tomadas, até com a definitiva eliminação dos baderneiros do futebol brasileiro, medida que aconteceu na Inglaterra, onde torcedores que iam aos estádios apenas para provocar brigas e mortes foram expulsos, presos e excluídos de qualquer estádio de futebol da Europa.

O Grêmio, o Atlético Paranaense e o Internacional já estão utilizando a biometria para que as pessoas tenham acesso a seus estádios. O Atlético Paranaense está indo além, e para entrar no estádio, qualquer torcedor tem que retirar até o calçado, para não entrar com nada que possa vir a ser perigoso para os torcedores. Até quando a CBF, as Federações, os clubes e a justiça vão permitir que mortes ocorram e que tudo continue da maneira que está?

LEMBRANÇAS
Sr. Pedro José da Silva, o “ Sr. Pedrinho “, foi um personagem importante da nossa história e da criação da Liga de Desportos de Ipatinga. Foi no escritório da loja da qual ele era proprietário, “Casa das Máquinas”, onde foram realizadas as reuniões para a criação da entidade. O Sr. Pedrinho também foi um dos pioneiros que ajudou a criar o Ginásio de Assistência do Menor de Ipatinga - GAME.

Contato com a coluna: roberto50mg@hotmail.com.


Reação dos Leitores





Envie o seu Comentário