16/07/2017 10:00:00

Trabalhadores desagradam da aprovação da reforma trabalhista

A equipe do Diário do Aço foi às ruas para saber como a população reagiu diante da aprovação das mudanças na legislação que rege as relações de empregado e empregador



Arquivo Agência Brasil


Mesmo com diversos protestos populares a lei que altera a CLT de 1943 foi aprovada e sancionada nesta semana
Aprovada pelo plenário do Senado e sancionada pelo presidente da República, Michel Temer (PMDB), a reforma trabalhista altera mais de 100 tópicos da Consolidação da Lei Trabalhista (CLT), vigente desde 1943.

O texto foi sancionado sem vetos e uma das principais mudanças é que os acordos entre patrões e empregados terão prevalência sobre a lei, ou seja, a negociação prevalece sobre a legislação. Além disso, a matéria versa sobre flexibilidade na jornada de trabalho, parcelamento de férias, possibilidade da diminuição do horário de almoço, entre outros pontos.

A equipe do Diário do Aço foi às ruas para saber como a população reagiu diante da aprovação das mudanças na legislação que rege as relações de empregado e empregador. Entre as pessoas entrevistadas as respostas se dividiram entre os que ignoram o assunto ou acham a reforma negativa para o trabalhador. Algumas pessoas chegaram a responder que não eram moradores de Ipatinga, local em que as entrevistas foram realizadas, acreditando tratar de uma legislação municipal.
Wolmer Ezequiel


Mirtes acredita que a solução para o país está nas mãos da juventude

O operador de ponte-rolante, Cleidson Ricardo, de 35 anos, foi uma das exceções. O trabalhador destaca que, aliada à lei da terceirização, aprovada em março, o trabalhador pode sair muito prejudicado com a reforma trabalhista. “Essa possibilidade de poder contratar o funcionário como terceirizado é muito ruim, porque a empresa vai querer diminuir o custo com pessoal e os terceirizados custam até três vezes menos. Não vi como positiva a reforma”, pontua.

Weder salienta que negociar com o patrão, em muitos casos, pode não ser tarefa fácil

Para a servidora pública aposentada, Mirtes Maria Martins, de 53 anos, poucos pontos vão realmente contribuir para uma melhoria para o atual cenário de emprego no país. “Em sua maior parte creio que a reforma não será benéfica para o trabalhador. Concordo que algumas coisas deveriam ser modernizadas. Contudo, esta questão de acordo com patrão valer mais que a lei pode não ser ideal porque há ‘patrões’ e patrões”, opina a servidora.

O motorista Weder Teixeira, de 34 anos, também compartilha da opinião segundo a qual a lei traz prejuízos ao empregado. “Falam que é para melhorar as questões de trabalho e reduzir o índice de desemprego. Não vi como a lei vai favorecer a criação de novos postos de trabalho. Na verdade, eu acredito que haverá ainda uma redução de salários, pois agora há a permissão de contratar o funcionário como terceirizado, e nesta crise as pessoas não vão recusar receber menos, porque é melhor que não receber nada”, destaca.

“Isso vai complicar a vida de muita gente”, declara Cleidson

Na opinião da diarista Tatiane Morais Silva, de 44 anos, a reforma pode trazer algum benefício em longo prazo, mas as relações de trabalho podem ficar estremecidas. “Estou fazendo um curso técnico para voltar ao mercado de trabalho formal. Contudo, esta reforma deve deixar o emprego incerto porque a gente passa a depender das decisões de patrão, porque quem fará acordo com o empregador? Fora outras coisas como a redução do horário de almoço e parcelamento do turno de trabalho, isso é um absurdo”, desabafa.

A nova redação da chamada Lei de Modernização Trabalhista passa a valer dentro de quatro meses, para adequações dos empregadores e empregados. Após esta vitória, o conturbado Governo Temer também aposta em um resultado positivo no projeto de Lei da Reforma da Previdência.

O povo deveria ter brigado mais contra a aprovação da reforma”, avalia Tatiane


Reação dos Leitores





Comentários

Batista

17 de Julho, 2017 | 16:45
Por que que esses filhos da mãe não meche com pagamentos deles que nada , nada recebem uma,fortuna já não fazem nada agora que meche com no dinheirinho,fora Temer você é um saco no nosso país.
Mas de qualquer forma vamos oramos por você amolecer seu coração e ver o que você está fazer com nosso Brasil que poderia ser o país mais rico da america.
Envie o seu Comentário