29/06/2017 11:58:00

Barrando o crescimento de um gigante

CADE barra fusão do Pitágoras com a Estácio de Sá



Divulgação

Não se preocupem. Sei que os que conhecem o assunto vão dizer: Pitágoras não, Kroton. Sim, mas o grande público não conhece a holding Kroton, criada pelas Faculdades Pitágoras para gerir todos os negócios da área de educação.

E tudo começou na década de 90, quando houve a inserção do setor de educação superior na economia de mercado de forma contundente, o que fez com que várias faculdades, centro universitários e universidades administradas por famílias ou congregações religiosas (as confessionais) tivessem que se adequar a esse novo contexto, onde a economia de escala, redução de custos e otimização de recursos são essenciais para gerar competitividade no setor.

Há cerca de 390 dias, a Kroton (Pitágoras) entrou com processo no CADE – Conselho de Administração Econômica - para aprovar uma proposta de fusão com outra gigante do setor, a Estácio de Sá, um negócio foi avaliado em 5,5 bilhões de reais. Esse movimento era antecedido por outros, não menores nem menos complexos, processos de fusão e aquisição, e dentre os mais relevantes estão os realizados com a Universidade Anhanguera de São Paulo, a Unopar (Universidade do Norte do Paraná) e o Grupo Uniasselvi.

Após 390 dias de negociações acirradas, a fusão entre a Kroton e a Estácio foi rejeitada ontem, no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Apenas a relatora do processo, Cristiane Alkmin, votou a favor, mas com uma série de restrições. Os outros cinco conselheiros da autarquia antitruste foram contrários à transação, que formaria uma companhia com valor de mercado de cerca de R$ 30 bilhões e 1,5 milhão de alunos. O conselheiro Maurício Maia não participou do julgamento, porque sua posse ainda não foi oficializada.

No Vale do Aço
A presença das Faculdades Pitágoras no Vale do Aço se dá através dos campi Horto, Cidade Nobre e Centro de Ipatinga. A instituição é a maior da região, em número de alunos e campi, e oferece mais de 28 cursos entre graduação e pós-graduação. O crescimento foi impulsionado pela política expansionista da holding, crescendo em menos de cinco anos o que instituições decanas, como o Unileste, não conseguiram alcançar no mesmo prazo.

A crise econômica, aliada à crise específica da siderurgia, fez com que há mais de um ano o campus do centro de Ipatinga fosse desativado. Algumas fontes dão conta que o curso de Direito deve seguir para o campus novamente no próximo semestre, uma vez que o campus Cidade Nobre está lotado.

Em qual direção a Kroton (Pitágoras) vai crescer?
Segundo analistas, pequenas e médias instituições de ensino têm se movimentado em busca de um comprador porque avaliam que o cenário de consolidação é irreversível. Faculdades isoladas pouco conseguem competir com os grandes grupos, sobretudo aqueles que possuem ações na bolsa e conseguem captação de recursos para seu crescimento a um custo muito baixo.

Por outro lado, sem a Estácio, especula-se ainda que a Kroton possa se voltar para um processo de consolidação de escolas de ensino básico. Esse é um segmento no qual a empresa atua hoje, com o sistema de ensino Pitágoras, e em cuja expansão a Kroton já demonstrou interesse em outros momentos. Aqui no Vale do Aço, ícones como a Educação Criativa, no Cidade Nobre, e Fibonacci, no Cariru, podem entrar na mira.

Já a Estácio, descartada a fusão com a Kroton, deve passar a ser assediada por outros concorrentes. Ela poderá ser, mais uma vez, alvo de interesse da Ser Educacional, companhia de origem pernambucana que chegou a disputar a compra da Estácio com a mineira Kroton, mas acabou sendo preterida. À época, o controlador da Ser, Janguiê Diniz, se aproximou de Chaim Zaher, maior acionista individual da Estácio.

Sobre a Kroton
A Kroton Educacional é a maior empresa privada no ramo da educação no Brasil. Fundada em 1966, em Belo Horizonte, a partir da criação de uma empresa de cursos pré-vestibular chamada Pitágoras, a Kroton atua em todos os níveis escolares, como o pré-escolar, ensino primário e secundário, ensino secundário para adultos, vestibular, cursos livres, educação superior e pós-graduação, entre outros.

A Kroton tem mais 1.5 milhão de estudantes, com 290.000 estudantes na educação básica em 127 campi e 726 polos divididos entre 11 marcas educacionais, distribuídas em todos os estados Brasileiros.


Reação dos Leitores





Envie o seu Comentário