26/06/2017 07:20:00

Dois registros de estupro na festa de São João do Oriente

Adolescente de 17 anos atacada por um homem desconhecido, outro caso foi entre conhecidos que viajaram para a festa em grupo



Vanderli/CityBrazil


Os casos de violência sexual aconteceram na cidade de São João do Oriente

A tradicional festa de São João, em São João do Oriente foi marcada por dois registros de estupros, tendo como vítimas, pessoas moradoras de Ipatinga e que participavam das festividades alusivas ao santo. Os crimes foram registrados pela Polícia Militar no sábado (24) e no domingo (25).

Uma estudante de 17 anos, moradora do Bom Jardim, contou que foi à festa acompanhando de um amigo. Ela acabou tomando bebida alcoólica, mesmo sendo menor de idade (17 anos), e perdeu o rapaz entre a multidão. Em seguida a adolescente saiu em busca do jovem.

Ao perguntar onde ficava uma rua na cidade, um homem moreno, com aparência de 35 anos de idade, careca e com uma barba rala, se prontificou a mostrar o endereço à garota. Em um local mais afastado, o desconhecido armou-se com uma pedra e ameaçou a adolescente, levando-a para um barracão onde a violentou.

Após a violência sexual, ele mandou a adolescente sair do local ameaçando-a de morte. A jovem conseguiu a ajuda de uma moradora de São João do Oriente, encaminhando a vítima para o local onde estava hospedada com outros jovens. A PM e a família da estudante foram informadas do crime, porém o estuprador não foi encontrado pela polícia.

Outro caso
No sábado, uma mulher de 35 anos denunciou que foi violentada por um homem, de 34 anos. Eles passaram a noite na festa e foram embora, logo após o encerramento das apresentações musicais, indo para a casa na rua Itanhomi, no Centro de São do Oriente, onde estavam hospedados.

Ela deitou para dormir e acabou acordando com o homem mantendo relação sexual com ela. Segundo a mulher, sem a sua autorização. A vítima, ainda embriagada, disse que inicialmente chegou a pensar que fosse o noivo dela, mas afastou o homem com as mãos ao notar quem seria a pessoa.

A vítima levantou revoltada e acionou a Polícia Militar, denunciando que foi violentada. O motorista deu outra versão, alegando que deitou no tapete e passou a acariciar as pernas e os braços da mulher. Como não o repeliu, achou que tivesse consentido a ficar com ele, contudo a mulher desistiu durante a relação e ele voltou para a sala.

A mulher foi encaminhada para ser atendida por uma médica. Os policiais levaram o acusado para a delegacia de polícia civil, em Caratinga, para ser ouvido pelo delegado de plantão.


Reação dos Leitores





Comentários

Sorriso®®®

27 de Junho, 2017 | 08:17
não sou machista... por mim eliminaria todos os homens da terra e deixario somente eu aki kkkkkkkkkkkkkk
mas q tem treta nessa história ha isso tem.
com disse a Karina, ela tem o direito de dar pro primeiro cara...
ela realmente deu pro primeiro q apareceu kkkkkkkkkk

Sabonete

27 de Junho, 2017 | 07:28
REALMENTE NADA JUSTIFICA UM ESTUPRO.....MAS ESSAS DUAS HISTORIAS ESTÃO MUITO MAL CONTADA.....

Sebastião

26 de Junho, 2017 | 16:52
S. João do Oriente, da de tudo:
Pago o resgate de uma revista, que contém dados e fotos do
massacre de Ipatinga em 1963, roubada por um cidadão da referida
cidade. Assim que encontrar a revista, denunciarei o indivíduo à justiça.
Obs.: gosto de guardar relíquias, tais com fotos antigas de Ipatinga.






Karina

26 de Junho, 2017 | 16:47
Como sempre num pais machista a vitima e criminalizada e criminoso vitimizado a mulher sminha cara tem os mesmos direitos dos homens; de se divertir, de beber e ate mesmo de dar pro primeiro q aparecer. O q nao pode ocorrer e um homem achar no direito de violentar uma mulher aproveitando da bebedeira ou mediante a recusa da mesma estupro e crime hediondo e tem q ser punido como tal infelizmente neste pais nossos as vitimas e q punidas por pessoas sem escrupulos como vc e o agressor levado a gloria como o garanhao se achando o tal. Lamentavel, acorda estamos no seculo XXI nao ha margens para pensamentos e preconceitos como esse.

Martinha

26 de Junho, 2017 | 12:33
vai a festa,enche a cara,transa com quem aparece na frente e depois arrepende e fala em estupro.mulheres sem pudores,valores e alcoolatras.faz isso p queimar o nosso filme,por isso que os homens nao respeitam a gente e acham que todas nos somos putas e facil de comer.
Envie o seu Comentário