04/06/2017 09:59:00

Moradora do bairro Amaro Lanari completa 105 anos

Mãe de 11 filhos, a idosa conta sobre os momentos difíceis e felizes já vividos ao longo de 105 anos



Wôlmer Ezequiel


Maria e sua filha Lourdes preparam a comemoração dos 105 anos

Fernando Lopes

No bairro Amaro Lanari reside Maria José Bicalho, uma das mulheres centenárias do Vale do Aço. Nesta segunda-feira (5), dona Maria completa 105 anos. A matriarca conta que espera, ansiosamente, para saborear o bolo de mais um aniversário. Nascida em 5 de junho de 1912, no distrito de Santana de Ferros, do município de Ferros, Maria José casou-se com José Vicente Patrício aos 26 anos. Com a vida árdua na zona rural, a viúva conta que, enquanto o marido trabalhava no campo, ela realizava todos os afazeres domésticos e criava os 11 filhos que teve.

“Antigamente, o trabalho era muito pesado, tínhamos que levantar muito cedo para preparar a matutagem (refeição levada para o campo) pro marido, e tomar conta da casa e dos meninos”, fala Maria.

Tragédia

Após trabalharem por longos anos em uma fazenda no município de Ferros, o proprietário dispensou os serviços de dona Maria e seu marido sem realizar o pagamento de nenhum centavo. Essa demissão gerou uma tragédia que marcou para sempre a história da família. “Meu marido trabalhou na fazenda por mais de 20 anos. Eles mandaram a gente embora sem pagar o que era de nosso direito”, afirma.

A família reivindicou o pagamento, mas sofreu uma forte represália. “Meu marido não quis sair sem receber. Assim, o patrão tentou matar meu marido e matou milha filha mais velha. É triste demais uma mãe ver um filho ser assassinado, isso é o que o poder e o dinheiro podem fazer com as pessoas”, completa.

Recomeço

Com a morte da filha mais velha, Maria José e o marido se viram obrigados a abandonar toda a vida constituída na roça em Ferros e buscar novos rumos. Assim, ela e José Vicente chegaram ao distrito de Melo Viana, em Coronel Fabriciano. “Chegamos aqui com as mãos vazias. Não tínhamos nada. Só a vontade de seguir em frente”, revela.

Para adaptar à nova realidade, Maria passou a trabalhar como lavadeira, passadeira e cozinheira. “Quando mudamos pra cá, aí o trabalho aumentou mais, era aquele monte de filho e a gente tinha que dar conta de criar. Eu fiz de um tudo, lavava, passava e costurava, às vezes", conta emocionada.

A família e fé

Os filhos se casaram e a família de Dona Maria cresceu. Hoje, a matriarca possui 34 netos, 35 bisnetos e nove tataranetos. “Estão todos aí criados. Tenho filho e neto de um monte de profissão, engenheiro, advogado, seminarista”, ressalta.

Wôlmer Ezequiel


Maria e sua filha Lourdes preparam a comemoração dos 105 anos
A centenária vive atualmente no bairro Amaro Lanari, com uma de suas filhas, Lourdes Bicalho, que conta ao Diário do Aço que a mãe segue ativa na Igreja Católica São José dos Operários. “Ela faz questão de ir à missa todo fim de semana e reza o Santo Rosário e o Ofício de Nossa Senhora todos os dias”, informa.

Dona Maria fala que ama passear, inclusive, preza pelas caminhadas pelo bairro. “Gosto muito de andar pelo bairro. Aqui, todo mundo me conhece, gosto de ficar admirando as plantas, os jardins, acho bonito”, comenta.

A idosa revela que um dos segredos de sua vitalidade é tomar um copo de leite pela manhã e outro à tarde. “Eu bebo leite todos os dias, puro ou com café, tanto faz, mas eu não fico sem”. Outra curiosidade é que a centenária não janta, porém sempre come um pastel e toma um guaraná antes de dormir.

Questionada sobre a morte, Dona Maria fala que não se preocupa. “A morte já se esqueceu de mim. Acho uma bobagem essa coisa de morrer. A morte é triste, mas temos que partir. A gente já passou por amarguras, porém tudo passa, sei que sou muito feliz!”, conclui a centenária.

Maria Bicalho de 105 anos




Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Comentários

Gildázio Garcia Vitor

05 de Junho, 2017 | 10:53
Até que enfim uma bela reportagem. Parabéns à dona dona Maria por todos esses anos vividos com muita honra e inteligência.

Marilene

04 de Junho, 2017 | 21:29
Olha que docinho de pessoa.
A formosua não a abandonou.Parabéns grande matriarca!
Envie o seu Comentário