22/05/2017 07:51:00

XVII Festa do Vinho de Catas Altas movimenta cidade e atrai milhares pessoas



A XVII Festa do Vinho de Catas Altas foi um sucesso. Realizada de 19 a 21 de maio, a festa contou com uma programação variada, atraindo moradores e visitantes de várias partes do país. Nos três dias, o evento reuniu milhares de pessoas que vieram conferir de perto as atrações.

XVII Festa do Vinho de Catas Altas foi considerada um sucesso


A festa teve início no dia 19 de maio, com a abertura oficial e a entrega das faixas para a nova princesa do festival. Depois da abertura, Marcelo Veronez, Mutantes a Seco e a banda 14 Bis embalaram o público presente. Nem a chuva espantou as pessoas, que curtiram os shows embaixo de sombrinhas e das tendas que foram montadas em posições estratégicas no espaço do evento.

No dia 20, sábado, a programação durou o dia todo com várias atividades, entre elas, intervenções circenses (Circo Miudinho e As Mambacas), concurso do melhor vinho de jabuticaba, feira gastronômica Sabores do Morro e shows com Farra Trio, Zé da Guiomar, Jorge Band, Rockbras, Logan, Bernardo do Espinhaço e Vanessa da Mata, a estrela da noite, que atraiu um grande público. A Praça Monsenhor Mendes, onde a festa foi realizada, ficou lotada.

Vanessa da Mata embalou uma das noites no fim de semana


Aliás, Catas Altas foi escolhida para sediar o último show da turnê “Sangue Bom” de Vanessa da Mata, que trouxe, entre outras músicas, sucessos como Boa Sorte”, “ai, ai, ai”, “Não me deixe só”, “Amado” e “Homem Preto”.

No domingo, além da feira de comida e das atividades circenses, foram realizados shows com Bob Drumond, Camila Calais, Saxofones Afrolatinos, Aline Abreu e a mineira Rockin’ Strings Orchestra. A orquestra foi muito elogiada pelo público presente por misturar rock com música clássica, através de instrumentos como violino, viola, violoncelo, bateria e percussão.

No mesmo dia, encerrando a festa, foi entregue a premiação para os três melhores vinhos do festival, realizado em parceria com a Emater. O vinho de Neli de Souza ficou em primeiro lugar. A bebida de Rogério Alves ficou em segundo e a de Zenilda Alves, em terceiro.


Gastronomia e estrutura

A gastronomia também foi um show à parte na Festa do Vinho deste ano. Além da feira Sabores do Morro, foram promovidas oficinas gastronômicas, em parceria com o Senac/MG, e uma cozinha show. A procura pelas oficinas na carreta-escola foi grande. Todo mundo queria provar as delícias produzidas à base do vinho de jabuticaba, como o creme de mamão papaia com licor de jabuticaba. As receitas fazem parte do projeto Primórdios da Cozinha Mineira.

Além da programação de ótima qualidade, aprovada pelos visitantes, o evento ainda contou com uma estrutura que possibilitou que o público prestigiasse a festa mesmo sob chuva, como aconteceu no primeiro dia. Quatro tendas foram montadas em posições estratégicas. Mesas e cadeiras foram espalhadas no ambiente em frente ao palco B e às barracas de vinho, durante o dia, para que as pessoas pudessem curtir os shows de forma confortável, experimentando a comida e a bebida produzidas especialmente para a festa.

E o evento ainda trouxe retornos financeiros para o município. Durante os três dias, a taxa de ocupação das pousadas foi de quase 100%. A cidade conta hoje com 342 leitos, distribuídos entre 16 hospedarias.

14 Bis, outra atração na Festa do Vinho 2017


Realização

A Festa do Vinho é uma realização da Prefeitura de Catas Altas, em parceria com a Associação dos Produtores de Vinho, Agricultores Familiares e Outros Produtos Artesanais de Catas Altas (Aprovart). Além da realização da secretaria de Cultura e Turismo, o evento ainda contou com apoio das secretarias de Serviços Urbanos, Obras e Viação, Administração e Fazenda, e Agricultura e Meio Ambiente.

O Festival foi criado há 17 anos para enaltecer a produção do vinho de jabuticaba, que é conhecido nacionalmente por sua qualidade, e para homenagear uma tradição que vem passando de geração em geração desde que a produção da bebida teve início em Catas Altas no ano de 1949, como uma alternativa à fabricação do tradicional vinho de uva.
A Festa resgata uma tradição que remete ao século XIX, quando as minas de ouro se esgotaram e a produção de vinho se transformou em uma nova opção de subsistência.


Reação dos Leitores





Envie o seu Comentário