18/04/2017 17:51:00

Instável e incompetente



Divulgação

No início da atual temporada, muitos afirmavam que o Atlético seria um dos sérios candidatos a títulos em 2017, mas o time nunca correspondeu ao que a torcida acreditava, que poderia novamente ser o ano do Galo, principalmente pelas contratações feitas.

Diga-se de passagem, que a diretoria trabalhou e trouxe grandes jogadores, como foram os casos do Elias, Robinho, Fred, contratações pontuais, e ainda a troca com o Corinthians do meia Marlone por Clayton, que, na minha opinião, foi melhor para o Galo. Trouxe ainda o volante Adilson, que é um bom reforço e com o tempo deverá ser o titular na posição.

Mas a diretoria do Atlético esqueceu de um detalhe muito importante para esta temporada, a sua dupla de zaga, que não corresponde à qualidade que o time tem no meio campo e o ataque. Léo Silva hoje não tem mais condições de jogar 90 minutos, e Gabriel não é o zagueiro que pode dar tranquilidade ao time. E com isto, nas saídas de Marcos Rocha e Fábio Santos, o time fica muito vulnerável, perdendo bolas fáceis para os adversários e complicando a situação.

Se formos analisar o Atlético de hoje, chegaremos à conclusão de que não tem time nem para conquistar o campeonato estadual, que falta um esquema que dê cobertura aos seus alas, falta força ao meio campo. Já passou da hora de Rafael Carioca ser sacado da equipe e Adilson entrar em sua posição, principalmente pela qualidade do passe e a força na marcação.

Rafael Carioca caiu muito de produção, e com a sua instabilidade ele sobrecarrega os outros jogadores do meio campo, com o time perdendo muitas bolas naquele setor.

Na partida de domingo contra o modesto URT, o time foi totalmente envolvido, principalmente no segundo tempo, quando a equipe de Patos de Minas mandou na partida. É inconcebível que um time que investiu milhões de reais em jogadores em nível de seleção, acostumados com o futebol europeu, passe despercebido contra uma equipe do interior, sem muitas aspirações, e o time do Galo seja totalmente envolvido por esta equipe.

Não justifica dizer que a equipe da URT jogou muito bem, que fechou os espaços, exerceu uma cobertura e uma marcação muito próxima dos jogadores do Atlético, pois pela qualidade de seus jogadores o Atlético não poderia nunca empatar com a URT ou qualquer outra equipe do interior no campeonato estadual.

Isto é inaceitável, e o técnico Roger Machado precisa exigir da diretoria uma equipe mais qualificada, e que dentro de campo ele também possa dar uma outra estrutura à sua equipe. Caso contrário, não vai conquistar nem o campeonato mineiro.

EFICIENTE
O Cruzeiro não conseguiu surpreender o América no domingo, na primeira partida da semifinal, com um futebol irreconhecível na maior parte do jogo, fazendo do goleiro Rafael o melhor em campo. Mas o time comandado por Mano Menezes tem hoje o elenco mais equilibrado em Minas Gerais, tem uma postura muito firme no meio campo, um ataque de jogadores experientes e decisivos. Também tem a mesma deficiência do Atlético na zaga, mas com um meio campo mais equilibrado, o time consegue manter a cobertura dos alas e do meio da zaga, sem muito sacrifício.

Esta é a diferença do time celeste para os seus adversários, e mesmo que não tenha sido brilhante na partida da semifinal contra o América, o treinador Mano Menezes consegue dar equilíbrio à sua equipe, alternando as posições dos jogadores, às vezes em um esquema com dois volantes e quatro atacantes, e um time forte de pegada muito boa consegue lidar com tranquilidade em uma situação adversa.

Acredito que, mesmo com alguma dificuldade, o time estará na final contra o Atlético, e com um time um pouco mais bem preparado para conquistar o Campeonato Mineiro. E se tivesse que apostar em um ganhador da competição, eu diria que o Cruzeiro é o melhor time.

ACADEMIA OLGUIN
Comandada pelo professor Júlio Olguin, a academia promoveu semana passada a graduação para troca de faixas de seus alunos. Para a mudança de faixa são observados vários critérios, como movimentos básicos, luta imaginária e combate. O evento também serviu para comprovar o que os atletas estão aprendendo nos treinamentos e o resultado foi satisfatório, com os mesmos tendo um ótimo desempenho.

Anna Rodrigues, Francisco Magalhães e Miguel Souza conquistaram a faixa verde; Maria Eduarda e Caio Cotta conquistaram a Faixa Marrom, e Miguel Vale e Enzo Moratti conquistaram a Faixa Roxa. Estes, inclusive, serão a partir de agora monitores da Academia Olguin.

LDI
Enquanto a promessa de valorizar o esporte amador não é cumprida, a Liga de Desportos de Ipatinga vai tentando se superar e procurando parceiros para dar continuidade à sua vida e também às competições desta temporada. O arbitral já foi realizado, e agora todos estão na na dependência da liberação das verbas para que a vida do esporte amador de Ipatinga volte à normalidade. Mas infelizmente, até o presente momento ainda não houve uma resposta, e os clubes aguardam com expectativa para que possam disputar as competições com tranquilidade.

LEMBRANÇA
Revendo as fotos do historiador ipatinguense José Augusto de Moraes, encontrei o registro de um ataque que considero um dos maiores de toda a história do futebol regional: NILO, GILSOLANGE, ZÉ RAUS, PINTA ROXA e LINDOMAR, do time do Faixa Azul, que também deixaram muitas histórias em Ipatinga.

Contatos com a coluna: roberto50mg@hotmail.com.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário